"SÍNDROME DE ROKITANSKY (MRKH)"

Espaço para divulgação, informação e apoio às portadoras de "SÍNDROME DE ROKITANSKY".
A participação de profissionais de saúde e familiares também é muito bem vinda.
Vamos juntos debater o tema, esclarecer dúvidas e aprender para tornar a descoberta e aceitação da Síndrome menos dolorosa.

3 de set de 2012

MOLDE ( Dilatadores)

Nesses  anos de bate-papos com outras portadoras,ouvi relatos dos mais diversos tipos de moldes, desde os mais primitivos ( e curiosos)  aos mais elaborados.
Rolinho de pintura, vela esculpida, madeira ( o que imagino ser bem prejudicial pois se trata de material poroso com tendência a propagação de bactérias); metal, cones de pompoar...
Tubo base de garrafa pet ( alguns hospitais o utilizam por ter baixo custo, mas com inconveniente da falta de conforto). Este material antes de espandido para se tornar garrafa, nada mais é do que um acrílico resistente.
Também existem kits que se encaixam alternando tamanho e circunferência ,de acordo com a necessidade,  mas infelizmente não são fáceis de encontrar, são importados.
Os moldes pós cirúrgicos  costumam  ser adquiridos pelos próprios médicos junto a representantes,  que então repassam a suas pacientes.
Mas em grandes capitais já é possível encontrar moldes em lojas de produtos hospitalares.
Uma tendência da atualidade é a indicação de  "prótese peninana",adquirida em  sex shop. Existem de diversos materiais , mas o de silicole é o mais confortável. Este tipo de molde leva a vantagem de ser encontrado em qualquer parte do Brasil e por preço acessível, mas é preciso lembrar que as dimensões precisam ser recomendadas por médicos para obter resultados satisfatórios.

Bem , a conclusão que temos é que o mais diferencia um molde de outro é o conforto oferecido e a segurança para evitar bactérias.
O resultado vai depender bem mais da frequencia do exercícios do que do molde, e para isso é preciso determinação e um certo bom-humor.   É comum a repulsa pelo molde, mas é preciso enxergá-lo como um aliado, um amigo! É ele que vai ajudar teu canal se desenvolver.
Aproveite o momento de exercício para conhecer seu próprio corpo e perceber que vc é mulher com desejos e sensações. 

*   A frequência e tempo dos exercícios, modo de usar  ( se periódico ou constante) vai depender da recomendação de seu médico e do seu caso.

*  Pergunte a ele sobre pomadas de base hormonal que auxiliam na dilatação.

*  O gel lubrificante também impede que o molde machuque, o uso de preservativo também é importante.

*  E lembre-se de manter sempre a higiene do molde para evitar bactérias.

Tenha paciência não desanime !! 

Os resultados chegam com o tempo!!
Respeite os limites de seu corpo!




9 comentários:

  1. Anônimo1/22/2014

    oi, descobri aos 17 anos que sou portadora dessa sindrome,na época fiquei muito abalada, e tentei não pensar muito no assunto, hoje aos 24 anos, ainda virgem por convicções religiosas, começo a me questionar sobre como será minha vida sexual, e tenho medo, gostaria de saber é imprescindível fazer a cirurgia ou se apenas com os dilatadores é possível ter uma vida sexual normal, não procurei mais nenhum médico por que minha mãe sempre fica meio mal com a situação, então, nunca falo das minhas dúvidas e dos meus medos, assim se puderem me responder eu agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, primeiramente me perdoe a demora em responder.
      Olha, para cada caso tem um tratamento adquado. É necessario avaliação medica para saber se vc tem ausencia total ou parcial. Se parcial, qual o tamanho. Mas todos os tratamentos garantem vida sexual satisfatória.
      É natural que mães fiquem tristinhas, afinal elas queriam evitar nossas dores. Conversem bastante e apoiem uma a outra.
      Mas olha, independente de ser necessario ou não o tratamento e seja qual for. Tenho certeza que Deus tem uma vida linda para vc. E vai preparar um companheiro pra te amar, honrar e caminhar juntinho contigo.Conte com a gente, faremos de tudo para te auxiliar em suas duvidas e te apoiar em seus medos. Conhecemos todos esses sentimentos, afinal passamos pelo mesmo.
      Se preferir entre em contato por e-mail.
      Bjk

      Excluir
    2. Anônimo4/06/2014

      Obrigada por responder. Quanto ao tamanho do canal reli o relatório e a médica referiu-se ,dizendo que tenho vagina curta, aproximadamente 2 cm.
      A questâo é que me assusta a ideia de ter que me submeter a uma cirurgia, mas se não tiver outro jeito, fazer o que né.
      Tenho uma dúvida, para usar os dilatadores ou fazer a cirurgia, preciso já ter perdido a virgindade,ou ter tentado? Pergunto pra saber se o tratamento, qualquer que seja, deverá ser feito antes ou depois de me casar.
      Desde já agrade
      ço o espaço e a atenção .

      Excluir
    3. Flor, mil perdões pela demora em responder. Não sei por qual razão algumas mensagens não foram notificadas. Somente hj checando caixa de SPAM encontrei.
      Fazer cirurgia ou dilatação não necessita perder a virgindade, nem sempre o hímen está presente nesses casos. Normalmente qdo se tem menos de 3cm, é recomendada cirug. Mas como toda regra tem exceção, conheço quem tenha conseguido criar um canal somente com dilatação. Antes ou depois de casar, vai depender de vc e de seu companheiro. Se vc faz o tratamento antes de casar, já estará preparada para uma relação em sua lua de mel .:) Se deixa pra depois, vai precisar contar com compreensão , mas tbm contará com ajuda.
      Desejo a ti uma boa decisão.

      BJK

      Excluir
    4. Anônimo9/19/2014

      Olá, me chamo Thaís, gostaria de dizer que eu também sou portadora da síndrome. Tenho 28 anos, mas quando eu descobri tinha 17 anos também. Assim como você, a minha vagina era de aproximadamente 2 cm. Eu sou cristã, e queria me casar virgem, assim como você. Quero te dizer que realizei meu sonho e tenho certeza que você também terá essa felicidade. No meu caso, enquanto um médico me aconselhava a fazer a cirurgia, outro dizia que os exercícios com dilatadores surtiriam o efeito desejado. Pensei muito, pesquisei muito e, no meu caso, achei melhor os exercícios. Como eu já estava namorando um bom rapaz, um amigo querido, em quem eu confiava plenamente, eu contei a ele do meu caso. E, para a minha alegria e alívio, ele foi muito amoroso, entendeu que após o casamento, nossas primeiras relações sexuais teriam que ser com cuidado especial. Ele pesquisou o assunto também. Eu fiz durante alguns meses os exercícios, até que me casei, virgem. Isso mesmo, porque os exercícios não tiram nossa virgindade. A minha primeira relação sexual foi com meu esposo. Minha lua-de-mel me deixou muito nervosa, mas meu esposo foi carinhoso e gentil. Depois de alguns meses de casados, minha médica constatou que meu canal vaginal já tinha dilatado bem, e que estava feliz com meu progresso. Eu é claro estou mais feliz que ela. :)

      Excluir
    5. Thaís obrigada por compartilhar um pouco de sua história.
      Geralmente abaixo de 3 cm recomendam a cirurgia, mas acredito que com determinação e apoio de companheiro seja possível conseguir progressos com dilatação e com a relação.
      Quanto a virgindade, é exatamente isso que vc falou, não se pode dizer que é perdida no tratamento, pois os exercícios são fisioterapia, perder virgindade acontece quando se tem a primeira relação sexual.
      Bjk!!
      Deus abençoe cada dia mais seu casamento. Felicidades sempre!

      Excluir
  2. Anônimo12/09/2014

    Oi!
    Quando eu tinha 14/15 anos passei a sentir dores desconfortáveis e meus médicos me indicaram diversos exames. Ao fazer o ultrassom pélvico (que acho um tanto desconfortável, pois passo mal) constataram que meu rim esquerdo é pélvico e que tomou o lugar do útero. Talvez, por esse fato, houve o impedimento do crescimento.
    No início, acreditavam que meu útero era infantil, então, quando descobri que não o tinha, entrei em desespero. No mesmo dia fiz os exames e descobri a síndrome, não tinha o "tamanho do canal normal" que são uns 7cm.
    Faço um tratamento com velas e estou na segunda (e talvez) última fase do mesmo. Já ganhei a profundidade, mas troquei de médico e agora estou fazendo diferente.
    O médico de antes (especialista da minha cidade vizinha) disse que o tratamento faria com que o tamanho da minha vagina fosse o normal, enquanto a atual médica quer me moldar ao ponto do tamanho de um pênis comum, o que achava ser desnecessário.
    Nunca namorei, muito menos tive relação sexual, mas todo dia, apesar da dor constante emocionalmente, faço meu tratamento para ganhar meu tamanho normal para relações, já que a atual médica disse que posso parar no hospital, caso não o faça.
    Tudo isso me deixa muito insegura e amedrontada... Foi muito importante para mim encontrar esse blog. Meus parabéns! E obrigada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flor, primeiramente me perdoe a demora em responder, tive alguns problemas de saúde, mas agora estou melhor.
      Alterações nos rins fazem parte da Sd de Rokitansky ( embora não seja regra), entre elas, o rim pélvico.
      Não há exatamente um consenso entre médicos ,cada um defende uma maneira de fazer a dilatação ou uma técnica cirúrgica. Todas no final acabam dando certo , tbm depende da resposta de cada organismo.
      Acho que o que mais pesa na Sd é exatamente a dor emocional, maior do que qualquer outra física. Medo, insegurança, baixa estima... Por isso é importante conhecer outras meninas, outras histórias pra perceber que não é a única, não está sozinha e tudo isso é passageiro. Que é possivel uma vida sexual normal e satisfatória, é possivel constituir uma família feliz... Vc faz algum acompanhamento psicológico?
      Desculpe , mas não compreendi o porque a médica disse que vc pode parar no hospital.
      Se desejar conversar melhor, me mande e-mail: s.rokitansky@hotmail.com
      BJK
      Marcia Marques

      Excluir
    2. Olá! Desculpe a demora em corresponder com a resposta! Na minha antepenúltima consulta (mais ou menos) ela disse à minha mãe que eu poderia parar no hospital por ainda não ter ganho tamanho suficiente de vagina caso tentasse uma relação sexual. Agora, uns seis meses depois, ela já me informou que posso tentar ter relações sexuais, pois já consegui profundidade E largura, não o essencial, mas suficiente para uma tentativa. Vou continuar com meu tratamento normalmente, com umas dicas que ela me deu.
      Só agora, depois de palavras de pessoas queridas, fui encaminhada para um psicólogo, pois essa doutora imaginou que eu já estivesse passando por um.
      Tive uma crise de choro péssimaaaa nessa semana, acho que para que tudo que ela me dissesse tomasse consciência em mim, mas foi tão bom! As palavras, as verdades! Ando satisfeita com meu tratamento, enxergando meu molde (vela) como meu melhor amigo lindinho hahahahaha <3

      Excluir